15.7.10

(des)percebendo Liverpool

De longe tudo é muito grande. Liverpool de lá, do Brasil, parecia mágica. Eu jurei pra mim mesma que quando chegasse aqui eu beijaria o chão, que aqui seria minha "terra santa". De perto você passa a ver as coisas com naturalidade e os dias fluem sem que você perceba. Só depois de uma semana por aqui eu resolvi que veria os lugares que sempre foram sagrados para mim. O plano era chegar aqui e ir correndo até Strawberry Field. O plano era peregrinar pelos beatle-places. O plano mudou. Eu não entrei em Mendips, não conheci o quarto do John. O Cavern Club é só um lugar bacana pra ouvir música e tomar cerveja com os amigos. E só depois de duas semanas olhando pela janela da cozinha e vendo o mesmo prédio, me dizem que foi ali que nasceu John Winston Lennon. O mito. O gênio. Eu não me abalei. Hoje de manhã fui até a cozinha, dei outra olhada. É, foi lá.
Um dia alguém me disse que os lugares são as pessoas. Liverpool é um lugar fantástico porque as pessoas que estão aqui comigo a transformaram em um lugar fantástico. Quanto aos Beatles, não, eles não estão aqui. É só um prédio, uma casa, é só uma faixa de pedestres. E eles não estão lá. Eles estão dentro de mim. Here, There and Everywhere.
Até Já,
Paula Vidal

5 comentários:

Beatriz Barros disse...

Acho que você conhecia a Liverpool dos Beatles. Agora está conhecendo a sua própria Liverpool.
Te amo. E conheça por mim. Estou aí contigo. Texto lindo, como sempre. Você é o meu orgulho.

Augusto disse...

Grande Pauleta!

Isso acontece com todos, ou você acha que o povo daquela cidade interiorana onde você esteve há pouco, como se chama mesmo, ah, Paris, fica olhando pra Torre de Pizza, oops Eiffel o tempo todo?

Eles nem sabem mais que ela está lá.

Kisses
Uncle Small Brick!

Bruno Lourenço disse...

Inteligência e sensibilidade com uma pitada (apimentada) de bom humor.
Ótima receita.
Não fez gastronomia, mas me agrada esse tempero.

Um beijo, couve-flor.

Bruno Lourenço disse...

Inteligência e sensibilidade com uma pitada (apimentada) de bom humor.
Ótima receita.
Não fez gastronomia, mas me agrada esse tempero.

Um beijo, couve-flor.

Marcella Klimuk disse...

adorei seu blog. fui saber dele só hoje. texto lindo!

Eles estão dentro de nós, ensinando-nos que tudo o que precisamos é de amor, e por isso os levamos para qualquer lugar.